Translate

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

SYO Anime Awards 2016

Conheça os melhores animes de 2016... Segundo nossa premiação.

Por MIKA

Finalmente saiu o nosso SYO Anime Awards Edição 2016! Depois de um ano recheado de surpresas e decepções, veremos agora quais animes valeram a pena acompanhar neste ano que passou!
Esta é nossa 3º Premiação. Se quiser conferir as outras, clique aqui para a de 2014 e aqui para a de 2015.
E lembrando que está é uma premiação com base feita com base em votações feitas entre nós (e houve muita discórdia). Selecionamos 25 categorias desta vez (tiramos a categoria “Melhor Cenário” por ela estar basicamente entrelaçada com “Melhor Direção de Arte”), das quais você confere a seguir: 
Melhor Direção de Arte
Melhor Roteiro
Melhor Anime Curto
Melhor Abertura
Melhor Encerramento
Maior Surpresa do ano
Maior Decepção do ano
Melhor Trilha Sonora
Melhor Continuação em 2016
Melhor Anime de Ação/Aventura
Melhor Anime de Comédia
Melhor Anime Dramático/Triste
Melhor Anime de Romance
Melhor Anime de Terror
Melhor Adaptação
Melhor Anime Original
Melhor Vilão/Antagonista
Melhor Protagonista Masculino
Melhor Protagonista Feminino
Melhor Personagem Secundário Masculino
Melhor Personagem Secundária Feminina
Melhor Dublador
Melhor Dubladora
Melhor Anime de 2016
(Nesta última, em vez de ser o tradicional Top 3, será um Top 5, e com Menções Honrosas)

Pois bem, vamos nessa, e lembrando que esta premiação foi feita com base em análises e gostos pessoais nossos, por isso se quiserem dar sua opinião, deem nos comentários!


Melhor Direção de Arte

Tales of Zestiria the X

Não tem como negar: O visual, toda a arte de Zestiria, tudo é muito bonito!  Eu já esperava um visual bacana, como é de costume desse estúdio, mas o que vi superou minhas expectativas. A direção de arte está de parabéns por entregar um anime que tem um excelente background e uma animação muito acima da média, com ótimos frames. Os backgrounds eram bem detalhados, quase que no nível cinematográfico, e o design de personagens era bastante agradável. Teve lutas sensacionais graças a boa coreografia e a animação fluída. DE longe, um anime que acaba sendo um prato cheio para os olhos de quem ama uma boa animação fluída.

Melhor Roteiro

Nejimaki Seirei Senki: Tenkyou no Alderamin

Vou ser sincero: Alderamin não possui a melhor animação do ano, tem poucas cenas de impacto visual, o que dificulta sentir a emoção que o diretor queria passar. Mas em termos de roteiro, o de Nejimaki é um dos melhores. A história é muito bem construída, sendo o episódio 4 o melhor de todos. Os personagens são muito interessantes e bem desenvolvidos, mesmo com pouco tempo de tela. Cada episódio me deixava chocado e ansioso pelo próximo. Uma pena que poderia ter sido nota 10 se a animação tivesse ajudado, pois é como falei, o que estragava um pouco isso era a animação que não era bem feita, com muito quadro estático, atrapalhando tudo. E, infelizmente, o anime talvez nunca ganhe uma nova temporada. Mas pelo menos garanto que pra quem gosta de uma história muito bem construída e sem absurdos demais, recomendo esta.

Melhor Anime Curto

Space Patrol Luluco

Um anime bastante divertido, de apenas 7 minutos. É um anime muito louco de comédia, e que faz várias referências a outros animes do mesmo estúdio (o Studio Trigger), além das situações absurdas que ele tem para seus problemas. Não é um anime pra quem busca uma história inteligente e que faça sentido, mas pra quem gosta de animes engraçados e bem WTF, esse é uma dica.
Melhor Abertura

Bungou Stray Dogs Op 2 (Reasong Living, por SCREEN Mode)
Existem duas versões desta abertura: A primeira é do arco do passado que acontece dos episódios 1 a 4, e a segunda é já no presente, que começa no episódio 5. Embora muitos afirmem que ela é genérica (por ser uma apresentação dos personagens sem muita criatividade) a música combina bem com as cenas, que por sinal, são muito bem animadas. Muito melhor que a primeira abertura.

Melhor Encerramento

Shuumatsu no Izetta (Hikari Aru Basho, por May’n)

Um encerramento com quadros estáticos, mas com uma música linda, que combinados passam uma sensação de solidão e tristeza. Isso é o encerramento do anime Shuumatsu no Izetta, sendo novamente uma música que combina com o anime em si.

Maior Surpresa do Ano

Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o!

Quem diria que de um gênero que para muitos está desgastado, no fim temos um anime que conseguiu alcançar um sucesso inimaginável. Ok, pode não ter sido maior que o de Re:Zero, mas é inegável que KonoSuba foi muito divertido, com várias situações que me matavam de rir. Um anime simples, com uma temática bem conhecida pelos otakus, mas com um estilo único e eu recomendo pra quem quer um anime pra aliviar o estresse.

Maior Decepção do Ano

Qualidea Code
Tivemos muitas decepções esse ano: Phamtom Wolrd, Mayoiga, Kabaneri, Taboo Tattoo (que já fiz análise), mas de todos, com certeza a maior decepção foi Qualidea Code. O hype era justificável, claro, afinal era um projeto que envolvia o autor de Oregairu, de HenNeko e de Date A Live, sendo Oregairu de longe o anime mais popular entre os 3 e o que mais chamou gente para esse negócio. Tinha basicamente TUDO para dar certo. Mas não. O anime está cheio de erros, de roteiro e de animação (o que é irônico, o título tem “Qualidea”, porque “Qualidade” é o que falta). Seu começo foi mediano, mas ok, podia melhorar, ele tentava dar um desenvolvimento de personagens... Mas gradativamente esse desenvolvimento não se aprofundava, o plot twist da história não cria impacto nem neles, que ficam sem fazer nada sobre isso. O anime é todo corrido, a animação é mal feita “à nível Pierrot” (se é que me entendem), com personagens tortos, faltando pedaços de cena... Teve uma cena de ação que deveria encerrar o episódio num grande clímax, mas não tinha cena de ação, jogaram uma cena anterior como um quadro estático e ficou nisso mesmo. A produção desse anime estava tão atrasada que, literalmente, tacaram o “Foda-se” e lançaram o episódio assim mesmo, todo cheio de erros. O diretor não sabia trabalhar com ação, porque colocaram isso nas mãos dele? De longe, o pior anime do ano.

Melhor Trilha Sonora

Joker Game

Joker Game é o anime com a melhor trilha sonora. Ela combina bem com o clima, algumas músicas remetem a época, e que ajudavam a passar o clima de mistério do anime, e claro, lembra até aqueles filmes como do 007. Gostei bastante.


Melhor Continuação em 2016

Haikyuu 3: Karasuno Koukou vs Shiratorizawa Gakuen Koukou

Adaptar um jogo só em 10 episódios seria lento e cansativo, além de um exagero... Era isso que muitos deviam pensar, mas Haikyuu 3 conseguiu ser espetacular, além de, na minha opinião, ser melhor que a primeira e a segunda temporada. Ele teve mais ação, foi mais direto nela, e me deixava empolgado a cada novo episódio e ansioso pelo próximo. Com várias reviravoltas e momentos de tensão e alegria, Haikyuu 3 de longe foi a melhor continuação de anime que tivemos em 2016.

Melhor Anime de Ação/Aventura

Re:Zero Kara Hajimeru Isekai Seikatsu

Já fizemos uma análise do anime. E repito a frase acima: Quem diria que de um gênero que para muitos está desgastado, no fim temos um anime que conseguiu alcançar um sucesso inimaginável. Eu, pessoalmente, não o acho uma maravilha, mas não desgosto. De fato, foi um anime que não me arrependo de acompanhar, e acredito que, de certa forma, o sucesso foi merecido.

Melhor Anime de Comédia

Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o!

KonoSuba é engraçado demais! A Aqua e a Megumin são, de longe, personagens épicas, nosso amigo Kazuma é um protagonista divertido, e a história é bem simples, nada complicado, e com muito humor. Provavelmente muita gente ao ver este anime pode achar que é só “mais um” dentre vários animes de adolescentes japoneses do sexo masculino indo para um mundo de fantasia e formando um harém, MAS NÃO, KonoSuba é diferente por conseguir te divertir. Arrisco-me a dizer, mas KonoSuba é BEM MELHOR que Re:Zero, na minha opinião.

Melhor Anime Dramático/Triste

Boku Dake ga Inai Machi

Talvez o anime que mais pode criar controvérsias. Muita gente não gostou do rumo que a história tomou, e ficou chateando o anime. Porém, é inegável que esse anime foi emocionante. A tensão dominava a cada episódio, e você torcia para que tudo desse certo. Além disso, muitos desses episódios arrancam lágrimas de um jeito único. Talvez o rumo que o anime tomou poderia ter sido diferente, melhor, mas vale a pena dar uma chance. Um anime muito emocionante!
E aqui fica o texto da personagem principal Kayo Hinazuki.
Quando eu crescer e for grande o bastante para ir a algum lugar sozinha, eu quero ir para um país bem distante.
Para alguma ilha bem longe. Eu quero ir para uma ilha sem pessoas. Eu quero ir para uma ilha sem dor ou tristeza.
Nessa ilha, eu posso subir numa árvore quando eu quiser. Nadar no mar quando eu quiser. Dormir quando eu quiser.
Quando eu penso sobre a cidade onde só eu não existo, eu sinto um alívio. Eu quero ir para longe, bem longe.

Melhor Anime de Romance

Kimi no Na Wa

“Mas isso daí é um filme, não anime!”. Bom, é um filme de animação, e feito no Japão, logo é um anime. Nesta edição, uma novidade é justamente a inclusão de filmes de anime. Ainda mais em 2016, um ano escasso de animes de romance que realmente valessem a pena (nossa opinião). É um filme de Makoto Shinkai, e é basicamente um anime de romance com troca de corpos, mas acaba sendo muito melhor. É um filme divertido, emocionante, com bastante drama e romance, e um bom final. Eu realmente o recomendo, mesmo não sendo uma série de anime (o que pode afastar alguns, não entendo isso), acredito que é um filme que todos deveriam ver. Não é o meu anime favorito do ano, mas eu tenho ele guardado em meu coração. E não sou só eu quem gostou. Foi o filme de maior bilheteria do Japão em 2016, deve se tornar um dos filmes de animação mais lucrativos de todos os tempos, está na lista de indicados ao Oscar de Melhor Animação (espero que ganhe) e está no topo do MAL de melhor filme de anime do ano.

Melhor Anime de Terror

Occultic;Nine

“Occultic;Nine” terror? Sim. Sendo sincero: 2016 foi um ano tão, MAS TÃO ESCASSO em animes de Terror que dos dois únicos que se encaixariam nessa categoria (Occultic e o péssimo Mayoiga) apenas Occultic conseguiu gerar certa tensão e me divertir. E, confesso, deu medo o garoto branco e a história dos sacrifícios. Mesmo não sendo exatamente de Terror e seu final não ter sido tão satisfatório, pelo menos ele é melhor que Mayoiga e valeu um pouco a pena assisti-lo semanalmente. E, aqui deixo duas coisas: 1- Mayoiga foi uma decepção, só não foi tão decepcionante quanto o Qualidea Code. 2- Se em 2017 também houver essa escassez, num futuro Anime Awards não irei incluir a categoria Terror.
P.S: A música de encerramento é MUITO boa. 
P.S 2: Não sei se dá para considerar Kabaneri como um anime de terror por ele ter puxado mais pra ação. Mesmo assim, não acho que ele, sendo desse gênero, fora o melhor.


Melhor Adaptação

Boku Dake ga Inai Machi

Comprimir em apenas 12 episódios 8 volumes de mangá. Essa foi a difícil missão que a equipe desse anime teve. E não tem como negar que ficou boa. Mesmo muitos terem xingado algumas mudanças sutis que o anime fez em relação ao original, ela ficou cabível dentro da proposta, conseguindo fechar o anime de uma forma boa.

Melhor Anime Original

Shuumatsu no Izetta

Um anime ambientado numa versão alternativa da Segunda Guerra, com uma Bruxa interferindo, e o principal: A história é toda narrada pelo ponto de vista dos Aliados, e não do Eixo (que é onde o Japão estava inserido) como costumamos ver. Isso é basicamente Izetta, que em apenas 12 episódios, conseguiu cumprir sua meta, e me divertiu bastante. Claro, talvez se tivesse mais episódios daria para explorar mais aquele universo, ainda sim nesses divertidos 12 episódios do anime tivemos personagens interessantíssimos, uma trama cheia de reviravoltas e muitas cenas de ação empolgantes. Valeu apena acompanha-lo!

Melhor Vilão/Antagonista

Satou (Ajin)

E se eu disser que um dos motivos para que eu tenha acompanhado Ajin foi o seu vilão? Sim, o que mais me prendeu não foi a trama (embora ela também era bem interessante) mas também seu principal antagonista. Satou, um cara que, não bastasse ser um ser imortal que controla um monstro negro, como também tem grandes habilidades de combate no nível militar dos EUA e é um excelente estrategista com alto poder de persuasão, e, claro, um grande psicopata. Um personagem bastante intrigante e que só a presença dele na tela já causava certa tensão. Recomendo Ajin principalmente por causa do Satou.

Melhor Protagonista Maculino

Ikta Solork (Nejimaki Seirei Senki: Tenkyou no Alderamin)

“O melhor protagonista é o Kazuma!”, “O melhor é o Subaru!”. Não. O melhor mesmo é este cara: Ikta Solork, do anime Nejimaki Seirei Senki. E, querem saber porque? 1- Ele é inteligente e um estrategista brilhante, que não resolve as coisas na porrada, mas sim na base da estratégia, o que é bem legal e foge dos clichês comuns. 2- É bem humano, bem mais do que o Subaru (tem gente que fala que o Subaru só é o melhor protagonista do ano por ser bem humano). Ele erra de vez em quando, se frustra, tem defeitos como uma pessoa normal. 3- Tem bastante profundidade, ele todo é explorado, mostrando seu passado e o seu verdadeiro caráter. 4- Ele é carismático.
Acho que não preciso dizer mais nada.

Melhor Protagonista Feminino

Yatorishino Igsem (Nejimaki Seirei Senki: Tenkyou no Alderamin)

E aqui temos uma personagem que é carismática, boa de briga, e também é bem humana. Yatori foi a personagem feminina que eu mais gostei nesse ano de 2016. Ela formava uma boa dupla com o protagonista, não romântica, mas sim como parceiros de guerra, e era quem dava apoio para o Ikta, principalmente quando ele estava para baixo. Acredito que não tenha tido nenhuma outra heroína que tenha se aproximado do nível da Yatori.

Melhor Personagem Secundário Masculino

Arataka Reigen (Mob Psycho 100)

E o melhor personagem secundário masculino do ano foi justamente um charlatão! O personagem passa a maior parte do tempo enganando o protagonista e outras pessoas com o papo de ter “poderes incríveis”. Mesmo querendo apenas ganhar dinheiro na base da mentira, no fundo é uma boa pessoa, e ele tem um papel fundamental na trama do anime. E, claro, é bastante carismático e as cenas em que aparecia eram as mais engraçadas do anime. E as lições que ele passa para o Mob, sobre o uso dos poderes dele, querendo ou não, são lições interessantes.

Melhor Personagem Secundária Feminino

Ortfiné Fredericka von Eylstadt (Shuumatsu no Izetta)

Uma princesa. É isso que eu sabia sobre a personagem pouco antes da estreia do anime. E lá veio Izetta, e tive o prazer de conhecer a Princesa Finé, que tem motivações excelentes, e a proposta de governo dele é melhor que até as da Emilia (assistam e entenderão). Além de ser bastante forte, ela se preocupa com seu povo e não mede esforços para ser sociável com eles. E, claro, a relação dela com a Izetta é algo único, do qual eu nunca me esquecerei. De longe, a melhor princesa dos animes.

Melhor Dublador

Yoshitsugu Matsuoka por Betelgeuse (Re:Zero)

2016 foi um ano de revelação para o dublador Yoshitsugu Matsuoka. Conhecido por dar voz a galãs de animes como Kirito (Sword Art Online), Souma (Shokugeki no Souma), Sora (No Game No Life) e Bell (Dungeon ni Deai), o dublador surpreendeu ao mostrar que consegue fazer a voz de um psicopata doido. O personagem falava de um jeito esquisito e único, e Yoshitsugu ralou para poder interpretá-lo. Não é a toa que já foi dito pela staff do anime que Yoshitsugu forçava bastante a voz, e isso poderia prejudica-lo em seu trabalho. De qualquer forma, valeu todo o esforço.

Melhor Dubladora

Sora Amamiya por Aqua (Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o!)
Eu amo Sora Amamiya, mas não foi por isso que dei esse prêmio a ela. Dublar a Aqua não deve ter sido fácil, visto que a personagem tinha várias variações na entonação de voz, ás vezes fala sofrendo, ás vezes fala manso, ás vezes fala agressiva, enfim, tem muitas oscilações, e Sora se saiu bem dando voz a ela. Merecidíssimo.

Melhor Anime de 2016- Top 5

5- Kono Subarashii Sekai ni Shukufuku o!
4- Bungou Stray Dogs
3- Shuumatsu no Izetta
2- Joker Game
1-  Nejimaki Seirei Senki: Tenkyou no Alderamin

E aqui estão os 5 Melhores Animes do Ano

KonoSuba é de longe a melhor comédia do ano, e fecha o Top 5.
Bungou Stray Dogs foi um anime divertido, mesmo que tenha seus problemas, eu gostei bastante dele, e acho justo a posição dele.
Shuumatsu no Izetta me surpreendeu bastante com sua trama e seus personagens, Finé é, dentre todas as princesas que já vi num anime, a melhor.
Joker Game foi um anime bem divertido, com episódios únicos e personagens únicos, com bastante tensão e ação, tudo com uma caracterização mais pé-no-chão, sempre se preocupando com a realidade.
Nejimaki Seirei Senki: Tenkyou no Alderamin foi de longe o melhor do ano. Mesmo não tendo a melhor animação, ele conseguia transmitir bastante emoção com um protagonista incrível, uma heroína fantástica, personagens muito bem construídos e um roteiro muito bem escrito. De longe, o melhor anime de 2016.

*Menções Honrosas

Mob Psycho 100 me divertiu bastante, acredito que nunca teremos um personagem secundário tão bom quanto o Reigen.
Boku Dake ga Inai Machi ficou marcado em meu coração, mas eu queria que fossem mais de 12 episódios.
Kimi no Na Wa foi um bom filme de anime, seu drama e seu romance funcionaram bem.
Boku no Hero Academia foi divertido, mas acredito que a quantidade de episódios sendo pequena não ajudou a me conquistar muito. Talvez isso melhore com a segunda temporada.
Re:Zero é só lerem minha análise.
Kiznaiver foi legal, mas acredito que sue final poderia ter sido melhor.

E é isso, a gente fica por aqui, deixe nos comentários qual foi o melhor anime de 2016 para você, e até a próxima. 
Postar um comentário