Translate

domingo, 28 de setembro de 2014

Analisando- O mundo mágico e autoexplicativo de Mahouka Koukou no Rettousei

E quem disse que magia não pode vir da ciência?

Por MIKA

Quando falamos de animes de magia, com batalhas entre magos e poderes diferenciados, o que nos vem a cabeça? Provavelmente, a maioria irá pensar primeiro em Fairy Tail, mas sempre tem aquele que pensa em Negima ou no recente Witch Work Craft. Mas quando falamos em animes com magia mesclada a ciência e a tecnologia, a opção se reduz ao nosso querido Toaru Majutsu no Index.  Mas dentre esses todos, nunca vi um anime como Mahouka Koukou no Rettousei. Confesso que eu estava meio receoso em vê-lo, uma vez que eu já estava traumatizado com esse tema de magia com tecnologia, tudo por causa do STB. Mesmo assim, decidi acompanhar, e eu posso dizer que estou satisfeito! Por que Mahouka foi um dos animes mais divertidos que assisti em 2014? Em quê Mahouka se diferencia de outros animes de magia? É por usar tecnologia também? Talvez, mas para isso temos o Toaru, então em quê? Eu fiz minhas Primeiras Impressões, e por que posso considerar que em algumas partes, eu não estava errado desde o início? Vale lembrar que este texto vai mais por minha opinião, por isso podem me criticar nos comentários e dizer sua opinião sobre o anime em questão. Vamos?
A história
Em um futuro próximo, a ciência comprovaria a existência de magia. Os cientistas passaram a estuda-la, e assim foram descobertas novas entidades quânticas que podiam ser influenciadas pela parte subconsciente do cérebro humano e podiam alterar diretamente a natureza de fenômeno físico, sem, contudo desrespeita as leis básicas da física. Assim em pouco tempo surgiram os magos, que através de aparelhos tecnológicos especiais, podiam manipular essa “magia moderna”. No Japão dos anos 2090, existem nove escolas especiais de magias, e é justamente no chamado Primeiro Colégio que os irmãos Miyuki e Tatsuya Shiba se matriculam. Enquanto Miyuki é uma excepcional maga do gelo, Tatsuya é visto como uma pessoa com baixas capacidades mágicas, por isso é colocado na classe de alunos considerados “estorvos”, que são justamente os menosprezados dentro do ambiente escolar. Porém, Tatsuya não é o que aparenta ser, e uma série de consequências e eventos começa a partir da chegada do “aluno irregular”.
Considerações Técnicas
Mahouka é uma light novel de Tsutomu Satou e Kana Ishida, publicada pela editora ASCII Media Works, na revista Dengeki Bunko Magazine, especializada na publicação de light novels. A revista é o lar de séries famosas como Baccano, Durarara!!, Kino no Tabi, , Sword Art Online e outras – todas que acabaram gerando um anime, por sinal. Dentro da revista, Mahouka é uma das séries mais populares, chegando a bater de frente com SAO. Por isso muitos apostavam quem Mahouka seria a modinha de 2014. Pois bem, isso não ocorreu, infelizmente. Mas sendo ou não modinha, o que esse anime tem para ser tão legal?
A começar pelo protagonista. Eu disse nas Primeiras Impressões que Tatsuya Shiba provavelmente era um protagonista pouco cativante. Então, eu me enganei nessa parte. O cara tem um grande diferencial dos protagonistas de hoje em dia: Ele não é do tipo “Eu vou proteger meus companheiros e salvar todo mundo”. Ele é extremamente frio, calculista e não hesita em matar seus oponentes, além de não se deixar abalar nunca. Foge totalmente dos padrões atuais de protagonista. Além disso, ele é extremamente poderoso, e não é aquele poder de “Protagonismo”, e sim é seu próprio poder, que ele sempre teve e não foi ganhando no decorrer da trama. Ele sempre foi forte! “Ué, Mika, mas por que ele é considerado um irregular?” deve perguntar quem ainda não viu Mahouka. Bom, a resposta disso tá lá no anime, por isso se quer saber mesmo é melhor ir assistir, pois não vou spoilar. Ah, e ele também é muito inteligente, ou seja, acaba sendo uma perfeição só. Um protagonista marcante, que merece respeito.
Miyuki Chiba é uma personagem bastante chata. Ela é muito apegada ao irmão, repete “Onii-sama” várias vezes, e mesmo sendo forte e bastante poderosa, ela acaba sendo inútil no decorrer dos 26 episódios da animação. Além disso, esse amor pelo irmão, meu, ela quer dormir com ele, literalmente! Não é dito isso na série, mas o jeito que ela age quando está com ele, algo que até os personagens notaram, além de querer sempre ficar com ele, mano, isso é incesto, já não é mais admiração! Pros bronheiros de plantão que querem incestos tipo OreImo, eis aqui um motivo para verem Mahouka. Tá, não rola sexo, mas as insinuações dessa menina... Oh my god!
 As personagens que mais gostei foram:  Mayumi Saegusa e Erika Chiba. Erika é uma garota troll, é alegre e gosta de sacanear todo mundo, mas sempre demonstra uma personalidade forte. Eu gosto dela por causa de seu jeito meio sacana, e de quanto ela consegue ser forte, mesmo estando na classe dos “estorvos”.

Já Mayumi é a presidente do Conselho Estudantil e é do tipo personagem misteriosa, porém ela também tem certas fraquezas, e gosto bastante do jeito que ela trata outras pessoas, especialmente Tatsuya, que eu achei bem cômico quando... Não vou spoilar...
A outra personagem que gostei foi Honoka Mitsui. Muitos me perguntariam o motivo, e eu digo que não sei. Simplesmente gosto do jeito dela. Não vão achando que é por causa do corpo, já que ela é turbinada natural, é mais pelo jeito dela mesmo.
Mahouka possui uma vasta quantidade de personagens: Tem o Masaki e o Leo, que também são legais, a Mari também é legalzinha, a Mizuki não é tão legalzinha, mas dá para aturar, achei o Mikihiko daorinha... Tem tantos personagens que se eu falar de todos, aí essa análise vai ficar bem extensa, mas de qualquer forma, com essa quantidade um ou outro você vai gostar.
Vamos falar do desenvolvimento do anime: Primeiramente, quero parabenizar a equipe de produção por conseguir colocar todos os personagens de forma correta na trama. Por mais que tenha uma vasta quantidade de personagens, foi tido o correto tratamento igualitário para cada um. Não foi aquilo de aparece um e de repente some, ou aquele personagem que seria interessante de se explorar e acaba por ser mal explorada. Cada um tem seu tempo e sua função, tudo regulado, e achei isso muito bom. A trama é bem amarrada e explicada, mas é aí que entra o problema: Na maior parte do tempo temos explicações sobre os feitiços ou sobre determinado termo, e isso ocupa bastante tempo. Fora que sempre inserem um termo, nome ou qualquer outra coisa, e aí vêm explicações. É tudo muito bem explicado. Tá bom que quando deixam de explicar as coisas nos animes, dando a impressão que devemos engolir qualquer coisa é bem ruim, mas aqui é um exagero de explicações. As batalhas são poucas, mas pelo menos são empolgantes. Tatsuya, de tão poderoso que é, ás vezes nem batalha, basta atirar no adversário e pronto, tudo se resolve em milésimos de segundo.
 Uma sacanagem que achei no anime é sobre o confronto entre Tatsuya e Masaki. Aqui vou ter de spoilar, então pulem essa parte quem não quiser saber [SPOILER] Na primeira abertura, a parte final mostra esse confronto, que, pelo menos pra mim, me passou a ideia que seria algo épico, que duraria uns dois episódios pelo menos e ambos estariam bastante feridos, visto que logo de cara é estabelecido que eles seriam rivais. Mas quando ele ocorreu, Tatsuya o venceu no mesmo episódio, em pouco tempo de luta Tatsuya dá um estalo de dedos no ouvido de Masaki e estoura seu tímpano, derrubando-o no chão, e pronto, fim de luta. Não foi épica nem nada, foi Tatsuya derrotando-o da mesma forma que ele derrota outros inimigos [FIM DO SPOILER]. Fala sério, isso foi uma puta sacanagem, propaganda enganosa essa. No fim, com tantas explicações e poucas lutas, por mais que elas sejam boas, para quem queria mais ação e menos conversa, Mahouka acabou não agradando, e por isso muitos largaram. Mas mesmo com tantas explicações, as lutas, os conceitos, tudo ali funciona perfeitamente.
O ecchi é algo bastante comum em animes de hoje em dia, e Mahouka não está livre disso. Vai e volta e temos alguma insinuação. Na realidade, esse ecchi é usado como ferramenta de humor, pois sempre que temos essas partes, é quando acontece algo engraçado. Eu dei risada em algumas partes, e acho que realmente com isso tudo dá para descontrair. O episódio 21 é um exemplo. A primeira metade foi de explicações que ajudaram a avançar na trama, mas a segunda foi ecchi para lá, ecchi para cá, romance e comédia (com fanservice de casais secundários da série), tudo para descontrair um pouco.
Ah, mas vocês devem pensar que por causa do ecchi tem harém, não? Inicialmente se tinha essa convicção, mas aí as garotas encontram seus pares, e muitas nem demonstram tanto interesse, no fim acho que só a Miyuki e mais duas garotas (que não vou falar quem são para não spoilar) que acabam apaixonadas pelo protagonista. “Ah, mas se são três já é harém” Sim, eu sei, mas pelo menos não é aquele harém gigante como estamos acostumados. Tudo ali que seja desse tipo é para descontrair e contentar os tarados de hoje em dia (que eu sei que esses daí só buscam animes para encontrarem ecchi, e assim se... Vocês sabem).
O final do anime é que pode causar estranheza. Ele acaba como se fosse o final de qualquer outro episódio, acabou sendo meio que aberto. Isso deixou um gostinho de “quero mais”. Não foi ruim, mas ainda sim foi meio estranho e simples, mas pelo menos abre possibilidades para tentar imaginar o que vem a seguir.
 A animação é boa. Os personagens parecem meio pálidos por causa das cores que alternam entre o sombrio e o colorido. Mas a forma como eles fluem, nossa, é muito boa! O 3D é excelente, bem executado, você sente que aquilo é palpável, e algumas coisas parecem até de verdade. O character desing é lindo, foi feito pelo próprio ilustrador da novel, Kana Ishida (que também já trabalhou em Aquarion Evol) e apesar de parecer algo meio genérico e comum, não deixa de ser muito bonito. Os personagens são bem expressivos, mesmo não tendo aqueles típicos “emoticons” de animes, eles conseguem transmitir o que pensam. Dirigido por Manabu Ono (Saki!, A-Channel, Kyoukai Senjou no Horizon) e com roteiros feitos pelo próprio autor, Tsutomu Satou, posso afirmar sem dúvida alguma que o estúdio MadHouse (Death Note, Nana, Chobits, Hunter x Hunter) fez um bom trabalho. As músicas de abertura são as melhores, a primeira é “Rising Hope” interpretada por LiSA (a mesma de Sword Art Online OP 1) e a segunda (minha favorita) é “Grilleto” interpretada por Garnidelia (a mesma de Kill la Kill OP 2).
A dublagem é fantástica. Yuichi Nakamura (o Gray de Fairy Tail) como Tatsuya ficoum bom, também gostei da Saori Hayami (a Ikaros de Sora no Otoshimono) como Miyuki. Também tivemos: Takuma Terashima (o Mugai de Mushibugyou) como Leo; Kana Hanazawa (a Shiro de Deadman Wonderland; confira nosso Hall dos Dubladores) como Mayumi; Yumi Uchiyama (a Yuuma de Strike The Blood) como Erika; Sora Amamiya (a Touka de Tokyo Ghoul) como Honoka; Yoshitsugu Matsuoka (o Kirito de SAO) como Masaki; Satomi Sato (a Ritsu de K-on!) como Mizuki; Marina Inoue (a Rei de HOTD) como Mari; e muitos outros dubladores famosos.
Comentários Gerais                                  
Eu poderia passar o dia inteiro falando de quanto gostei desse anime. É uma história muito bem escrita, com vários personagens próprios e únicos, quase que sem furos (só um ou outro) e que soube usar-se do clichê para criar as mais diversas situações. É um anime bem divertido, e acredito que para quem acompanhou semanalmente, como eu, a experiência foi ainda melhor, pois todo sábado era dia de ver Tatsuya e seus hackers (sim, a magia de Tatsuya parece até coisa de hacker). Eu recomendo bastante esse anime. Se você busca uma história bem amarrada e que tenha um protagonista diferente, Mahouka é para você. Se você gosta de sci-fi e de histórias de magia, Mahouka é para você. Agora, se você não gosta de animes com bastante explicação e poucas lutas e quer mesmo ver o pau comer ou mesmo odeia protagonistas muito fortes, então fique longe de Mahouka. Não é um anime feito para todos, atinge determinado público, ou seja, aqueles que gostam de tudo explicado e de protagonistas fortes.
Sobre ter segunda temporada: O anime vendeu aproximadamente 11.799 unidades, entre BDs e DVDs. Se mantiver esses números irá se tornar um sucesso de vendas, como esperado. A novel recebeu um bom boost com o anime, mas bem menos do que se esperava. Provavelmente a Aniplex esperava que esse anime fosse um hit de vendas, então creio que de certa forma foi uma decepção. Mas com esses números, mais o final em aberto, acredito que até ano que vem terá uma segunda temporada. É só esperar. 
Por MIKA
Postar um comentário